segunda-feira, 17 de julho de 2017

... Dias Estranhos...

... Dias estranhos... Nosso país mostra atualmente uma face assustadora e ao mesmo tempo reveladora. Desde a Promulgação da Constituição de 1988 essa fase atual tem sido talvez a que mais tivemos a oportunidade de conhecer e usar esse importante e norteador documento. É possível, portanto refletir que apesar de todas as comemorações no momento de sua promulgação e posteriormente elogios a cerca de sua modernidade hoje temos a sensação de que as instituições não convergem para uma igualdade no tratamento aos cidadãos, elas ao contrário, atuam de acordo com siglas partidárias... Protegendo pessoas com largo conjunto de prova que os incriminam e condenando outros utilizando o já famoso argumento da convicção... ... Aprendi ainda jovem sobre a independência dos poderes, não obstante verificamos conversas, conchavos entre membros do auto judiciário nacional (STF) e dos poderes executivo e legislativo... Alia-se a isso a desproporcional força de uma mídia com forte poder de alienação, que indiferente a sua condição de concessão pública encontra-se incumbida única e exclusivamente na defesa de seus interesses comerciais... Enquanto isso o povo assiste a tudo sem poder de reação, observa as conquistas sociais adquiridas após tantas lutas, escapar de maneira passiva... Observam direitos trabalhistas e educacionais acabarem através de reformas tenebrosas e desastrosas... É preciso ter força... A luta precisa continuar, todavia é preciso admitir... ... Dias Estranhos...

Texto: Alan Cardoso
Foto: Alan Cardoso

Nenhum comentário: